Negócios de sucesso (2/7): As pessoas são o maior patrimônio da sua empresa

Chefe dando feedback para a equipe

Você já se pegou pensando “esse pessoal não faz nada certo” ou “não posso confiar em ninguém nessa empresa”? 

Se sim, é melhor começar a repensar sua gestão. 

Todo empresário sabe a importância de ter boas máquinas, bons produtos, os melhores fornecedores, um bom capital de giro. 

O que muitos esquecem, na verdade, é que o recurso mais importante de qualquer organização são as pessoas. 

É através das pessoas que a empresa alcança seus objetivos, lucratividade e produtividade. 

Logo, sem elas, a maioria das organizações sequer existiriam. Ou seja, as empresas existem para pessoas e por pessoas, o que reforça a importância do devido olhar para este quesito. 

Se este é um fator tão relevante, por que ainda existem tantos gestores que reclamam ou não confiam na sua equipe? 

Uma das causas pode ter início já na abertura da vaga. 

Quer saber mais? 

Continue a leitura. 

Entenda quais os cargos e a importância deles para sua empresa

Cada empresa tem seus cargos com suas respectivas cargas de responsabilidade. 

Vale lembrar: todo cargo tem seu valor, composto do valor da função para a empresa e para o mercado. 

Compreender isso te dará passos de vantagem frente às empresas que enxergam pessoas como objetos e não como parceiros. 

Assim, há empresas mais enxutas, com poucos cargos/funções, como há outras com um grande organograma. 

Não há certo ou errado, desde que seja funcional. 

A fim de tomar decisões assertivas, a distribuição de cargos e salários deve, obrigatoriamente, acompanhar as tendências de mercado, as mudanças tecnológicas e, obviamente, o planejamento orçamentário. 

Um erro muito comum em diversas empresas é a divergência entre a descrição do cargo e a real função exercida.

Para evitar este problema, que pode inclusive motivar ações trabalhistas, é indispensável desenvolver a descrição do cargo de forma pontual e objetiva, pensando de fato no dia a dia de trabalho de quem ocupar essa função.

Pense nas habilidades e competências que cada cargo necessita para ser desempenhado com excelência. 

Um cargo operacional, por exemplo, demanda de maior competência técnica. Já um cargo de gestão, necessita de habilidades bem desenvolvidas de liderança, comunicação e planejamento. 

Se quer vender mais, aprenda a cobrar as pessoas certas, da maneira correta

Definido os cargos não basta montar uma equipe de vendedores para que sua empresa, num passe de mágica, comece a vender como nunca. 

Aumentar as vendas é o sonho de 9 em cada 10 empresas, no entanto, isso apenas pode ser conquistado com um planejamento estratégico estruturado e bem desenvolvido. 

Qual é a lógica, por exemplo, de cobrar vendas do departamento de logística? 

Nenhuma, não é mesmo?

Se você quer vender mais, cobre as pessoas certas, ou seja, aqueles que estão diretamente envolvidos na parte comercial. 

Outro ponto fundamental é cobrar de maneira adequada

Isso envolve não fazer cobranças constrangedoras em público, por exemplo, ou ainda não fazer uso de grosseria e insensibilidade. 

Além disso, nem sempre o dono ou o diretor da empresa pode acompanhar de perto a equipe de vendas. Por isso, engajar o líder de departamento (como o gerente, ou o supervisor, por exemplo) pode ajudar a alinhar os objetivos e verificar o desempenho. 

Para tal, é indispensável que o planejamento tático, estratégico e operacional seja do conhecimento de todos, apontando o caminho a seguir. 

A importância de treinar a sua equipe corretamente 

Uma equipe bem treinada é também mais motivada e mais produtiva. 

Muito mais do que apenas o aprimoramento de habilidades técnicas, o treinamento e desenvolvimento de pessoas serve para melhorar competências pessoais e comportamentais. 

O mercado está cada vez mais competitivo, por este motivo é fundamental investir em estratégias de diferenciação. 

Pessoas motivadas e qualificadas colaboram para um ambiente de alta performance, melhorando os resultados e o desempenho organizacional. 

Para a empresa, contar com profissionais treinados agrega competitividade. 

Além da excelência na execução de suas tarefas, estes passam a estarem aptos a identificar as necessidades da organização e reagem com maior rapidez. 

Para os funcionários, há um ganho considerável em motivação e desempenho. 

Ao notar que a organização se preocupa com o seu desenvolvimento profissional, isso gera um sentimento de orgulho e pertencimento, além de maior comprometimento com os objetivos empresariais.  

Fica claro que os ganhos ocorrem mutuamente. 

Investir em treinamento de equipes pode parecer um gasto adicional agora, mas, futuramente, pode significar diminuição da rotatividade, redução de prejuízos, aumento da produtividade e, consequentemente, dos lucros. 

Feedback e orientação: recursos poderosos

Muitos gestores acreditam que é preciso investir em recompensas financeiras para aumentar a produtividade, quando, muitas vezes, um bom feedback também pode gerar reflexos positivos na produtividade.

Além disso, é fato que grande parte dos problemas internos nas organizações são gerados pela falta de comunicação. 

Para sanar este problema, além de investir em metas claras e objetivas, investir em feedbacks periódicos é fundamental. 

O feedback serve como uma ponte entre o colaborador e seus líderes, deixando evidente as perspectivas e percepções dos dois. 

Vale lembrar que existe o feedback positivo e também o negativo, sendo que ambos devem ser igualmente valorizados. Este é um momento de demonstrar suporte e empatia por parte da empresa e, se necessário, alinhar novos objetivos mais realistas. 

Como modelo ideal, é recomendado que o feedback seja dado em momento oportuno, de preferência em uma data próxima aos fatos que serão abordados. 

Lembre-se que o feedback não é uma via de mão única. É importante deixar o colaborador expor seus pontos de vista. 

Evite subjetividades, preze por uma conversa objetiva e franca, sempre com empatia e respeito pela outra parte.

E lembre-se, em uma reunião de feedbacks o gestor nunca deve encerrar a dinâmica sem alinhar junto com o colaborador dois itens:

  • Quais as mudanças que devem acontecer?
  • Qual o prazo para que isso seja cumprido?

Faça uma ata desse encontro e pegue a assinatura de todos os presentes, isso fará com que o senso de responsabilidade aumente, o que colabora para que as metas sejam alcançadas.

Indicadores (KPIs) podem mudar a vida da sua empresa

Não menospreze a importância dos indicadores de performance, os famosos KPIs. 

Esta é uma metodologia amplamente difundida na administração e favorece o acompanhamento constante e eficiente do desempenho do seu negócio. 

Utilizados tanto para medir o desempenho em uma meta específica, quanto para objetivos estratégicos, esta é uma excelente forma de assegurar que a empresa está no caminho certo e corrigir eventuais desvios. 

Os KPIs são um meio eficaz de engajar toda a organização em prol de um objetivo comum, favorecendo a sua tangibilidade. 

Ao utilizá-los a empresa deixa de se basear em suposições para se guiar por dados concretos, favorecendo a tomada de decisão. 

Para isso, certifique-se que os KPIs são relevantes, aplicáveis, mensuráveis e periódicos. 

Remuneração é importante: saiba como remunerar corretamente sua equipe

Parece difícil, mas, definir quanto um funcionário irá ganhar não é tão complicado quando se tem uma política salarial clara. 

Muito mais do que apenas organizar a situação atual da empresa, evitando conflitos e decisões arbitrárias, isto ajuda a definir um plano de carreira, fundamental para a estratégia de longo prazo. 

Para defini-la corretamente é preciso se atentar a alguns detalhes como a forma de contratação, o plano de benefícios e a remuneração variável. 

A fim de manter esta política equilibrada e justa para ambas as partes, recomenda-se que seja: 

  • Adequada: respeitando o mínimo estabelecido pelo sindicato, piso e média de mercado. 
  • Equitativa: permitindo que cada pessoa seja paga de acordo com seu nível de especialização, habilidades e mérito. 
  • Balanceada: possibilitando um valor razoável para ambas as partes, incluindo benefícios e demais recompensas. 
  • Eficaz: assegurando que os salários estejam de acordo com o que a empresa pode pagar. 
  • Segura: de modo que satisfaçam as necessidades básicas dos colaboradores. 
  • Incentivadora: fazendo com que os funcionários sintam-se satisfeitos e motivados a continuarem desempenhando suas funções com presteza. 

O que é meritocracia? 

Trata-se do modelo mais utilizado pelas empresas atualmente, independente se seu porte, visto que se adapta a qualquer realidade. 

Meritocracia significa o poder do mérito. 

Ou seja, este conceito compreende o merecimento como a forma mais eficiente de obter crescimento e reconhecimento profissional. Em seu conceito não faz distinção de gênero, raça, credo ou classe. 

No ambiente organizacional, a meritocracia é fundamental para ajudar a identificar os bons profissionais e recompensá-los por isso de forma justa

Ao serem recompensados, estes ficam mais motivados e tendem a entregar resultados ainda maiores. 

Para que isto funcione é importante que os critérios sejam justos. 

Caso contrário, o resultado pode ser justamente o oposto do esperado, sendo visto como um disfarce para privilégios. Invista em uma comunicação clara e esquive-se das preferências pessoais. 

Como não onerar sua folha de pagamento

Cada vez mais o governo vem investindo em formas de desonerar a folha de pagamento das empresas no país. 

Na prática, isso significa reduzir a carga tributária, que é uma das maiores dificuldades apontadas pelos empreendedores no Brasil. 

Por este motivo, é fundamental pensar em formas de desonerar a folha de pagamento. Este ainda é um grande desafio, mas com as atitudes adequadas, é possível. 

Dentre os tributos pagos pela empresa está o INSS, que é a contribuição social patronal devida pelas organizações. 

Na forma convencional (onerosa) esta contribuição representa 20% do valor da remuneração de seus profissionais. Com a desoneração, o valor passa a ser determinado sobre a receita bruta, variando de 1% a 4,5% de acordo com o setor. 

Com a Lei nº 13.161/2015 os empresários passaram a poder optar entre as duas modalidades. 

Passo a passo para a criação de processos eficientes

Prezando pela sustentabilidade, organização e rentabilidade da empresa, é fundamental planejar a política salarial e a folha de pagamento de acordo com a situação organizacional atual. 

Confira o passo a passo para facilitar este processo: 

  1. Descreva os cargos: O primeiro passo para evitar desvios e quebras de expectativas é fazer a correta descrição de cargos. Determine as funções de forma realista e aposte em uma remuneração adequada. Avalie também as competências e habilidades desejadas para a função, tornando o processo de recrutamento, seleção e treinamento mais assertivo. 
  2. Faça uma análise interna: Verifique as diferenças salariais entre cargos e departamentos e analise se elas são justificáveis. Análise as áreas mais importantes para a sua empresa e desenvolva políticas especiais. 
  3. Observe o mercado: O mercado sempre deve servir de parâmetro para a definição da política salarial. Pesquisar como as outras empresas do mesmo porte e segmento remuneram seus funcionários é fundamental, prezando pela retenção de talentos e redução de custos com a alta rotatividade. 
  4. Preze pela saúde financeira: Não extrapole a capacidade financeira da sua empresa apenas para se igualar ao mercado. Para que os objetivos sejam colhidos, é necessário uma estratégia de longo prazo. 
  5. Avalie um plano de benefícios e recompensas: Nem sempre é possível pagar mais. Nestes casos, vale a pena avaliar a possibilidade de melhorar o plano de benefícios e recompensar, aumentando o engajamento, a motivação e melhorando o clima organizacional. 
  6. Documente: Para que os critérios sejam justos e não abram margem a questionamentos, documente-os. Isso é importante tanto para aqueles que entram, quanto para aqueles que já fazem parte da equipe, fazendo com que saibam que serão devidamente recompensados por seu desempenho.

Adotando essas práticas e implementando uma cultura organizacional que valoriza o humano com certeza toda a empresa sairá ganhando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *