Conheça a estratégia DRP e aprenda como melhorar o planejamento de distribuição

DRP - Planejamento de distribuição

Se você já assistiu ao carnaval do Rio de Janeiro, sabe que por trás de todas as fantasias, adereços, cores e sambas existe uma grande logística.

São meses de preparo para que tudo dê certo antes dos carros alegóricos e dos sambistas entrarem na Sapucaí. 

E sem dúvida, em todos esses anos, você já viu alguma situação em que um carro alegórico atrasou, precisou ser alterado ou simplesmente não conseguiu desfilar devido a uma falha básica:

na logística, as medidas de largura e altura não foram milimetricamente planejadas, impedindo que o carro entrasse na Sapucaí, comprometendo o desfile da escola.

E o que essa logística tem a ver com a logística das distribuidoras?

DRP - Logística de distribuição

Assim como, entre tantos fatores, a logística é decisiva para o sucesso de uma escola de samba durante o desfile, ela também é fundamental para que o distribuidor alcance os mais altos níveis de desempenho atendendo os clientes.

Com falhas que comprometem o resultado final, a logística também pode ser responsável por prejudicar a qualidade do serviço oferecido pelas distribuidoras.

Problema que pode ser evitado com o DRP. Um conceito que traz propostas e soluções de logística que podem fazer toda a diferença aí na sua distribuidora.

O que é o planejamento de distribuição?

DRP é uma metodologia que tem por objetivo equilibrar a demanda de compras, a disponibilidade de itens em estoque e a venda para atacados-varejistas. A sigla é uma abreviação para Distribution Requirements Planning, ou Planejamento dos Requisitos de Distribuição em português.

Seu objetivo é prevenir a ocorrência de faltas no estoque, quando o cliente não encontra o produto disponível para compra, ao mesmo tempo que visa evitar que o estoque fique parado, provocando prejuízos com a data de validade e armazenamento.

Trata-se de uma técnica utilizada por distribuidores, pela indústria e também no varejo. Três setores que alcançam melhores desempenhos quando há um equilíbrio em toda a cadeia de logística.

A sigla DRP também serve para designar a ferramenta utilizada para coletar e analisar as informações sobre a operação de vendas.

Então, vamos nessa aprender a fazer isso na prática!

Como fazer o planejamento de distribuição?

A distribuição está envolvida em todas as partes da cadeia de suprimentos. 

Quando chegamos a um supermercado e o item que desejamos está em falta na loja, mas em estoque nos centros de distribuição, significa que há uma falha no controle de estoque e logística.

Dessa forma, o DRP determina o planejamento de envio considerando quantidade, prazo/frequência e forma de envio.

Na estratégia são considerados:

  • A criação de rotas mais ágeis
  • O melhor aproveitamento de espaço do veículo de transporte
  • O aumento ou não da frota
  • O planejamento das etapas que antecedem a entrega, como atendimento e processamento dos pedidos.

Por abordar todos esses aspectos, o DRP contribui para aprimorar também a gestão de produtos e do estoque das distribuidoras e atacados, etapa que antecede a logística de transporte.

A metodologia DRP é baseada em três etapas, que você vai aprender agora.

Primeira etapa: levantamento de informações

Na primeira etapa é necessário fazer uma levantamento completo dos dados que vão ser utilizados para alimentar a ferramenta, informações fundamentais para avançar até a etapa de planejamento.

Reúna informações como:

  • Produtos que estão disponíveis na distribuidora
  • Produtos que já estão no ponto de venda
  • Previsão de entrega
  • Previsão de demanda
  • Informações sobre os ciclos de pedidos
  • Compras e pedidos que estão pendentes
  • Quantidade mínima de produtos por pedido
  • Regras de armazenamento em cada ponto de venda

Os dados armazenados de maneira automatizada num software de vendas farão toda diferença para fazer esse levantamento de forma ágil e precisa, já que as informações serão facilmente localizadas por meio de filtros de cliente, data de compra, produto, quantidade, etc.

Segunda etapa: planejamento

Após o levantamento de informações, os dados são inseridos na ferramenta para dar origem ao planejamento de abastecimento dos estabelecimentos, considerando a demanda, a frequência de entrega e a quantidade para cada ponto de venda.

Considere:

  • Quantidade de produto necessária
  • Qual o local e período em que deve ser entregue
  • O tipo de transporte necessário para aquele produto
  • Capacidade e disponibilidade de mão obra a serem utilizados
  • Entre outras informações

Terceira etapa: implementação

A partir dos dados inseridos na ferramenta, o DRP compara o que está sendo oferecido no momento com o que será oferecido no futuro.

Então, faz uma análise para sugerir quais estratégias devem ser adotadas no processo de distribuição da empresa.

Essas estratégias devem harmonizar a produção, aquisição e distribuição, evitando a falta e o excesso de produtos. Ou seja, gerando equilíbrio na operação.

Os benefícios do DRP

Reposição correta nos pontos de venda

A disponibilidade de produtos em gôndola é tão importante que já rendeu estudos que visam melhorar as práticas da cadeia de suprimentos.

DRP - Planejamento de distribuição no varejo

Segundo a pesquisa, 52% dos clientes deixam de comprar um produto e 22% trocam de supermercado diante da indisponibilidade do produto desejado.

O que no fim representa nada menos que uma perda econômica para distribuidores, atacadistas e varejistas.

Por meio do DRP, essa importante cadeia pode cumprir seu objetivo principal: disponibilizar o produto no local e momento certo, de acordo com as condições desejadas pelo consumidor.

Com o Planejamento dos Requisitos de Distribuição, a reposição dos produtos é realizada em tempo hábil e de forma equilibrada, sem comprometer o estoque nos pontos de venda.

Redução de perdas e custos

Assim como a falta de produtos gera perda econômica, produtos parados geram custos de armazenamento e aumentam os riscos de perdas por vencimento.

O DRP reduz e elimina estes problemas que prejudicam os ganhos desde a indústria até o centro de distribuição.

Ter um estoque alinhado com as demandas implica, entre tantas coisas, na satisfação do cliente, que se sente satisfeito quando encontra variedade de produtos, mas pode se frustrar diante da exposição excessiva à poucos itens.

Aumento na eficiência operacional

40,1% da indisponibilidade é causada pelos problemas no fornecimento, isto é, problemas com as frequências e quantidades de pedido das lojas e do centro de distribuição.

Isso demonstra a importância do DRP em organizar todos os processos operacionais relacionados a gestão de pedidos e estoque.

DRP na organização de estoque e logística de distribuição

Trabalhar com grande volume de produtos e com a exigência de várias logísticas de entrega igualmente eficientes é um desafio para o distribuidor.

Por isso, o DRP é uma estratégia altamente eficiente, utilizada por grandes distribuidores nacionais e internacionais, incluindo marcas reconhecidas como Nestlé e BRF.

Alcançar este nível de desempenho é possível, e não precisa ter uma operação gigantesca para isso. Ao contrário, começar ainda quando a capacidade é considerada pequena ou média tornará o planejamento de expansão muito mais eficiente.

Se este artigo foi útil para você, certifique-se de fazer ele chegar aos profissionais, gestores e sócios da sua distribuidora que podem aproveitar este conteúdo.

Compartilhe!