4 benefícios que o controle de vendas traz para distribuidoras com alto desempenho

Controle de vendas: como ter um alto desempenho como um atleta

Quem pratica corrida – de forma amadora ou profissional – sabe que existem duas formas de melhorar o desempenho: a primeira é investindo tempo, contando com um tanto de sorte e seguindo o limite que o corpo impõe.

A segunda maneira é seguindo dicas técnicas que melhoram a capacidade respiratória e física, auxiliam o corpo a ultrapassar os limites e possibilitam que você evolua cada vez mais rápido, sem ter imprevistos como lesões.

Sem dúvida, as duas formas promovem a melhora no desempenho, cada uma num ritmo diferente. Só depende do corredor decidir com qual qualidade e velocidade quer avançar e melhorar seu desempenho na corrida.

E o mesmo pode-se afirmar sobre as vendas da sua distribuidora:

de alguma forma elas vão ocorrer, seja pela necessidade do cliente, da demanda do mercado, ou ainda, por conta de uma oferta convincente daquele produto que está parado no seu estoque.

Mas assim como na corrida, é possível utilizar métodos estratégicos que possibilitam controlar as vendas, alcançar metas com mais agilidade e ter total domínio sobre os processos.

É sobre isso que vamos falar neste artigo: controle de vendas.

Você já faz o controle de vendas aí na sua distribuidora? Ou ele tá rolando, mas você não tem certeza se está fazendo certo?

Então agora é hora de anotar as dicas para melhorar seu controle de vendas, aumentar os ganhos e ainda conter os possíveis prejuízos que você pode encontrar pelo caminho.

O que é controle de vendas?

Controle de vendas é o método que possibilita gerenciar todas as vendas realizadas dentro de uma empresa. Ele pode ser feito de três formas: manual, por planilhas ou de maneira automatizada.

Entre todos os benefícios, o controle de vendas possibilita avaliar o desempenho do seu negócio por meio de dados dos produtos mais vendidos, do desempenho dos vendedores, do ritmo das vendas, do fluxo de caixa, entre outras coisas que fornecem um diagnóstico do seu negócio.

Diante de vantagens tão relevantes, é surpreendente que muitas empresas não invistam neste método ou não dêem a devida atenção, fazendo-o de maneira desatenta – o que também prejudica o resultado final.

Se você faz parte das empresas que ainda não aproveitam os benefícios do controle de vendas, responde as perguntas a seguir que vamos te ajudar a dar o primeiro passo:

  • Falta orçamento para investir num controle de vendas automatizado?
  • Tem dificuldade em utilizar ou capacitar a equipe para usar tecnologia?
  • Está no início dos negócios?
  • Já passou a fase inicial e não sabe como iniciar o controle no meio do caminho?

Se você respondeu sim para uma ou mais perguntas, preste atenção nas soluções abaixo, pois você não terá mais desculpas (ou dificuldades) para realizar um controle de vendas realmente eficiente.

Vamos lá!

Como fazer o controle de vendas?

Primeiro, comece escolhendo entre as opções: manual, por planilhas ou por meio de um software automático. É claro que as duas primeiras opções são as mais econômicas, já que é possível encontrar vários modelos disponíveis para download na internet.

O que você precisa saber é que nem todos os modelos vão servir para a sua distribuidora: alguns são destinadas a restaurantes, lojas de confecções, varejo, entre outros, e você vai precisar fazer adaptações com informações e dados que realmente fazem sentido para o seu negócio.

Então vamos para a parte prática. Além dos métodos, listamos abaixo uma seleção de informações que você deve priorizar nas colunas que serão preenchidas.

Controle de vendas manual

Este é o mais antigo dos métodos e nós não recomendamos, mas se você faz parte do time que se dá bem com lápis, caneta e papel, vai se sair bem na hora de fazer anotações.

Mas atenção, é importante separar um caderno para isso e mantê-lo em dia! Do contrário, o controle vai perder toda a efetividade e não vai refletir a realidade das vendas, nem do seu negócio.

Você pode começar utilizando as seguintes categorias para criar as colunas:

  • Vendedor
  • Cliente
  • Data
  • Produto
  • Preço unitário
  • Preço total
  • Forma de pagamento
  • Valor recebido
  • Parcelas (valores que ainda serão pagos)
  • Lucro total da venda
  • Comissão do vendedor

Se necessário, você ainda pode aplicar colunas com informações que estão de acordo com a realidade do seu negócio, como descontos praticados, entre outros.

Planilha para controle de vendas

A principal diferença entre o preenchimento manual e a planilha, além de um ser no papel e o outro no computador, é que você poderá fazer cálculos e obter resultados por meio das fórmulas do Excel ou do Planilhas do Google.

Sabendo que nem todo mundo tem domínio desses programas, separamos um tutorial detalhado para você não se complicar e aproveitar todos os benefícios desses meios.

Vale a pena investir um pouco do seu tempo para aprender! O vídeo tem quase 40 minutos, a mesma duração de um episódio daquela série que você acompanha. 😉

#dicaBônus
Utilizando o Planilhas do Google, o documento vai ficar na nuvem e você poderá ter acesso e fazer atualizações de qualquer lugar.

Software para controle de vendas

Este é sem dúvidas o método mais eficiente para ter sucesso fazendo o controle de vendas.

Isso porque um software de controle de vendas faz o registro automático cada vez que um produto é vendido, registrando também de forma automática, as outras implicações relacionadas à venda:

  • O vendedor responsável
  • Os dados do cliente
  • A forma de pagamento
  • A disponibilidade em estoque
  • As condições da venda (desconto, forma de pagamento)

E isso representa um ganho imenso para o distribuidor:

Por meio de regras e parametrizações configuradas no sistema, você garante que a equipe de vendas pratique preços e descontos pré-estabelecidos, evitando surpresas que comprometem o faturamento e o fluxo de caixa.

Além disso, com dados reunidos em um só lugar, o sistema possibilita uma análise ampla e ao mesmo tempo detalhada das vendas em campo. No sistema, os vendedores podem detalhar os motivos das vendas não efetuadas e apontar o que precisa ser melhorado.

Também é possível fazer o controle da chegada e saída das visitas, garantindo que toda a carteira de clientes receba a mesma atenção dos vendedores.

Além do registro automático dos dados, que elimina falhas humanas, o controle automático também aumenta a produtividade, já que não é necessário que seus vendedores ou sua equipe do financeiro invistam tempo atualizando os dados manualmente.

4 benefícios do controle de vendas para as distribuidoras

1. Amplia a capacidade de planejamento

O controle de vendas, quando combinado com o controle do estoque, fornece dados importantes sobre as saídas dos produtos e, consequentemente, sobre as principais demandas e necessidades do cliente.

  • Qual a frequência de compra?
  • Qual a quantidade?
  • Qual o faturamento total deste cliente?
  • É possível melhorar essa negociação para ambas as partes?

São perguntas que poderão ser respondidas com facilidade a partir de um rígido controle de vendas.

Além do mais, será possível planejar vendas de acordo com o período, garantir que o estoque seja abastecido de acordo com a frequência de compra e garantir que nenhuma venda seja perdida pela falta de itens.

2. Estreita a proximidade com fornecedores

O controle de vendas também funciona como uma solução para se aproximar dos fornecedores. Sabendo a quantidade de itens que você vai precisar futuramente, fica mais fácil negociar valores e também prazos, inclusive com a indústria.

Além de facilitar o trabalho do fornecedor, que passa a trabalhar com antecipação, sua distribuidora passa a ser um aliado estratégico – o que faz toda diferença na hora de fazer negócios inteligentes e rentáveis.

3. Gestão financeira eficiente

A partir do controle de vendas, será possível ter um panorama verdadeiro sobre o funcionamento da distribuidora: o fluxo de caixa, a saída de produtos, os itens que ficam parados por mais tempo no estoque, entre outros.

Com estas análises, é possível criar estratégias para:

  • Aumentar as vendas nos períodos que elas estão desaceleradas.
  • Incrementar a venda de itens com pouca saída.
  • Reforçar a atenção aos parceiros estratégicos responsáveis por grandes movimentações.
  • Rever aqueles itens que podem estar dando prejuízo.

4. Incentivo a equipe de vendas

De maneira geral, quando a meta de vendas é alcançada, muitas vezes compreende-se que toda a equipe colaborou para o alcance do resultado.

No entanto, isso nem sempre reflete a realidade.

Com o controle de vendas é possível identificar os vendedores com melhor desempenho e ao mesmo tempo dar a devida atenção para os vendedores que estão tendo dificuldades para concluir vendas.

Assim, é possível criar padrões e práticas que não só funcionam para a sua empresa, mas que refletem os princípios do seu negócio e melhoram o relacionamento com todos os parceiros.

O segredo das distribuidoras de alto desempenho

Tudo o que o controle de revendas representa pode até causar espanto.

Por isso que os softwares para automação e gestão de força de vendas representam um avanço tão grade para distribuidoras e indústrias: junto com a digitalização e a automação, eles trazem um diagnóstico completo sobre várias áreas da empresa que antes estavam escondidas ou deixadas de lado.

Se este não é o momento de você investir num software, comece a fazer o controle de vendas pelas planilhas. No futuro isso vai ajudar na hora de migrar para um software especializado.

Agora, se você não sabe mais o que fazer para capacitar e melhorar o desempenho do seu time de vendas, que tal conversar com um dos nossos consultores e conhecer o SOVIS/FV?

Clique aqui para agendar uma demonstrativo ou se preferir me chama no WhatsApp que conversamos mais sobre esse assunto.

Este pode ser o momento ideal para sua distribuidora alcançar um novo nível de maturidade no controle das vendas – e nos ganhos no final do mês.